O cantor postou um vídeo em seu Facebook para dizer que ao final das agendas contratadas, se voltará apenas para o público evangélico.

Após um dia longo de trabalho, Leandro Berg, nome de batismo de Léo Nascimento, natural de Rondônia, voltava para casa quando viu um violão pendurado na parede de um bar e pediu ao proprietário para tocá-lo. De camiseta e calça jeans suja de cimento, ele sentou-se na calçada e tocou o instrumento, enquanto um amigo filmava a cena. Na letra da música, ele conta a história de um amor adolescente que não teve final feliz. A mãe da moça descobriu o namoro e proibiu a relação. O vídeo foi gravado numa sexta-feira e já na segunda-feira ele tinha recebido mais de 1 milhão de visualizações.

Em pouco tempo depois as emissoras televisão TV Globo, Record e SBT o procuraram para entrevistas e sua história conquistou o Brasil. Aquele jovem de roupas simples sentado na calçada transformou-se em Léo Nascimento, um artista que faz até 20 shows por mês e viaja todo o Brasil. O salário de R$ 700 mensais agora chega a R$ 30 mil de cachê por show, podendo chegar a R$ 80 mil. A história serviu de inspiração para a canção “Tatuagem”, interpretada por ele.

Mas agora tudo mudou!

O cantor postou um vídeo em seu Facebook para dizer que ao final das agendas contratadas, se voltará apenas para o público evangélico.

Assista:

Léo Nascimento anuncia que só cantará música gospel

Comentários

Comentários

Classificado como: