Os salmos são também poesia, que é a forma mais apropriada para expressar os sentimentos diante da realidade da vida permeada pelo mistério de Deus, o aliado que se compromete com o homem para com ele construir a história. É Deus participando da luta pela vida e liberdade. Dessa forma, os salmos convidam para que também nós nos voltemos com atenção para a vida e a história. Nelas descobrimos o Deus sempre presente e disposto a se aliar, para caminhar na luta pela construção do mundo novo.

 

Salmo 121 – uma declaração de confiança
Leia: Salmo 121:1-8.


O salmo 121 faz parte de um pequeno hinário cantado pelo povo de Israel quando da sua ida às festas em Jerusalém. Integra os chamados “cantos de romagem”.

Mas o salmo 121 é antes de tudo uma belíssima declaração de confiança em Deus. Ele começa com um pergunta:

Elevo os olhos para os montes: de onde me virá o socorro?

Os montes eram os lugares dos cultos idólatras em Israel. Era nos chamados ‘lugares altos” que os desobedientes israelitas adoravam os baalins, uma falsa divindade masculina tida como suprema pelos cananeus ou fenícios.

O salmista diz olhas para estes lugares e neles não encontrar socorro. Ao dizer “o meu socorro vem do Senhor” era como se ele dissesse: não é dos montes que eu espero auxílio. No verso 2 ele diz: “O meu socorro vem do SENHOR, que fez o céu e a terra.”

Nos momentos de angústia somos tentados a não olhar para o Senhor, a desviarmos os nossos olhos do trono da Sua graça e os colocarmos em outras coisas. Acontece que estas outras coisas acabam se tornando ídolos para nós se assim procedermos.

Sejam os nossos bens, os nossos amigos ou mesmo falsas divindades, não são nestas coisas que devem residir a nossa confiança, mas no “Senhor que fez os céus e a terra”. Ele que fêz todas as coisas e tem todo o poder em Suas mãos é quem pode vir com socorro.

Independentemente de onde pareçam vir o socorro para outras pessoas, o socorro do que crê vêm do Senhor. Muitos apelam a intercessores, alguns a imagens, outros a “trabalhos”, mas o cristão tem a sólida confiança de que na hora da dor, da angústia ou da necessidade, o seu socorro vem do Senhor.

Verso 3: “Ele não permitirá que os teus pés vacilem; não dormitará aquele que te guarda.”

Esta promessa está firmada na confiança na soberania de Deus. Deus é o Senhor de todas as coisas, Ele está o tempo todo no controle, ele não permite que aquele que tem esta firme convicção tenha pés vacilantes.

Este verso nos assegura aquilo que nós já sabemos: Deus não dorme, o Senhor não cochila. Só que apesar de sabermos disso, nós muitas vezes agimos como se Deus não estivesse nos vendo ou nos ouvindo, entramos em desespero, buscamos solucionar os nossos problemas através da força do nosso braço e não expressamos a confiança devida naquele que é soberano e pode todas as coisas.

O verso 4 reafirma: “É certo que não dormita, nem dorme o guarda de Israel.” Mas algo a se ressaltar, o Senhor é o guarda de Israel e nós que somos a Sua Igreja somos o Israel de Deus, nas palavras do apóstolo Paulo em Gl 6:16.

Click na Bíblia

Comentários

Comentários

Classificado como: